Publicada em 20/10/2014

ARTIGO: Medidas de Precaução x Germes MR (Multirresistentes)

 

Medidas de Precaução x Germes MR (Multirresistentes)

Atualmente os germes multirresistentes estão presentes nos hospitais e ocasionando atenção especial às medidas já utilizadas e adaptadas a todos profissionais da assistência à saúde.

As medidas de prevenção das infecções relacionadas à assistência à saúde incluem as Precauções Padrão, que são ações que devem ser aplicadas a todos os pacientes, independentemente do seu estado de saúde ou idade, durante o cuidado assistencial em qualquer estabelecimento da área da saúde:

Higienização das mãos: As mãos podem ser higienizadas com solução alcoólica ou água e sabão, de forma que ambas possuem igual eficácia obedecendo os “5 momentos” propostos pela OMS-(Organização Mundial da Saúde):

1. Antes do contato com o paciente, mesmo que o contato seja com pele íntegra, como na verificação de sinais vitais ou auxílio para mudança de decúbito;
2. Antes da realização de procedimentos invasivos, como antes de punções e curativos;
3. Após exposição (ou risco) a sangue e fluidos corporais, como ocorre após punções, curativos, coletas de sangue, administrações de medicações, independente da utilização de luvas.
4. Após o contato com paciente, mesmo que o contato tenha sido com pele íntegra;
5. Após o contato com superfícies próximas ao paciente, como mesas, grades da cama, suportes de soro.

Utilização de luvas: As luvas de procedimento devem ser utilizadas quando houver possibilidade de contato com sangue, fluidos corporais, secreções, excreções e materiais contaminados.
Devem ser restritas à beira do leito, ou seja, deve-se evitar o contato desnecessário com o ambiente.
As luvas devem ser trocadas durante a assistência em um mesmo paciente ao mudar de um sítio mais contaminado para outro com menor grau de contaminação, como quando ocorre após a troca de fraldas e a posterior administração de medicações.
As mãos devem ser higienizadas imediatamente após a retirada, para evitar a contaminação de outros pacientes ou do ambiente.

Utilização de aventais: Os aventais são indicados para proteger a pele e prevenir umedecimento da roupa durante a assistência a pacientes, em situações que possam gerar respingos ou aerossóis de sangue, fluidos corporais, secreções ou excreções. Seu uso é restrito à beira do leito e deve ser removido imediatamente após o procedimento, para evitar contaminação de outros pacientes ou superfícies.

Utilização de máscara, protetor de olhos ou de face: Devem ser utilizados quando houver risco de respingos ou contato com sangue, secreções ou fluidos.

A máscara cirúrgica deve ser utilizada cobrindo boca e nariz.. A troca é recomendada quando a utilização for prolongada (> 1 hora) ou quando houver umidade, descartando-a após o uso.

Desinfecção de superfícies, artigos e equipamentos: Os materiais (estetoscópio, esfignomanômetro, termômetro) e equipamentos utilizados na assistência , de uso comum na unidade, devem ser submetidos à limpeza e/ou desinfecção imediatamente após o uso.

Higiene do Ambiente e Superfícies Assistenciais

Devido a ocorrência dos germes multirresistentes a limpeza e desinfecção do ambiente e superfícies devem ser priorizadas.
Limpeza é definida como a remoção de sujidade do piso, teto e mobiliário utilizando-se
Água e detergente. Independente da area a ser higienizada, o importante é a ação mecânica para a remição da sujidade.
A Desinfecção é o processo de destruição dos microrganismos patogênicos na forma vegetativa existentes em superfícies inertes, mediante a aplicação de agentes químicos
( saneantes) ou físicos.
Limpeza concorrente: Deve ser realizada três vezes ao dia ou quando necessário ( através de rotina e vistoria contínua), em toda a unidade, inclusive na presença do paciente. Inclui a limpeza do piso, mobílias acessórias, telefones, interruptores de luz, grades da cama, equipamentos, maçanetas e instalações sanitárias.
Limpeza terminal: É realizada após a alta, óbito ou transferência do paciente na unidade. Tem por finalidade a redução da contaminação do ambiente inclui a limpeza de paredes, pisos, teto, painel de gases, equipamentos, mesas de refeição, armários, janelas, luminárias, filtros e grades de ar condicionado.

Referências:

Siegel JD, Rhinehart E, Jackson M, Chiarello L, and The Healthcare Infection Control Practices Advisory Committee. 2007 Guideline for Isolation Precautions: Preventing Transmission of Infectious Agents in Healthcare Settings. June, 2007. http://www.cdc.gov/ncidod/dhqp/pdf/guidelines/Isolation2007.pdf

World Health Organization. WHO Guidelines on Hand Hygiene in Health Care. First Global Patient Safety Challenge Clean Care is Safer Care. WHO, 2009

Enfermeira Aline Castelo Branco

Serviço de Controle de Infecção Hospital Porto Alegre
 


Voltar | Mais Notícias | Página Inicial



Pesquisar no banco de Notícias
Palavras-chave




2020 © APHILAV
Associação dos Profissionais de Higienização e Lavanderia
Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por BM2 Desenvolvimento Web.